Novidades

Serena Williams se une a estrelas de Hollywood por time na NWSL






A Liga de Futebol Feminino dos Estados Unidos (NWSL) confirmou, nesta terça-feira (21), que a cidade de Los Angeles será sede da 11ª franquia do torneio. Batizada provisoriamente de Angel City, a equipe deverá entrar na liga apenas em 2022 e ainda não possui um nome oficial, instalações de treinamento e parceiros comerciais, mas tem um time de muito peso entre os proprietários.

Para começar, diversas estrelas de Hollywood, todas elas mulheres, encabeçam a lista. Atrizes como Natalie Portman, Eva Longoria, Jessica Chastain, Jennifer Garner, America Ferrera e Uzo Aduba são investidoras. Ao lado delas ainda estão a apresentadora Lilly Singh, a capitalista de risco do setor de tecnologia Kara Nortman e a empresária dos setores de mídia e jogos Julie Uhrman.

Como se trata de um time de futebol, não faltam mulheres esportistas na lista. Diversas ex-estrelas da seleção americana como Mia Hamm, Julie Foudy, Rachel Buehler, Shannon Boxx, Amanda Cromwell, Lorrie Fair Allen, Ronnie Fair Sullins, Joy Fawcett, Angela Hucles e Shannon MacMillan também são coproprietárias da equipe.

E, para fechar, até uma das maiores atletas da história americana abraçou a ideia. A tenista Serena Williams, seu marido, o investidor Alexis Ohanian, e até sua filha, Alexis Olympia, de apenas dois anos, também são donos da equipe, que não tem afiliação com nenhuma das equipes locais da liga masculina, a Major League Soccer (Los Angeles Galaxy e Los Angeles FC).

“Tenho orgulho de fazer parte deste maravilhoso grupo que trabalha para trazer um clube de futebol profissional feminino para Los Angeles. Principalmente porque sou fã do jogo, mas também porque acredito que há um enorme potencial para o esporte e que foi subestimado por muitas pessoas por muito tempo. Como alguém que passa horas chutando uma bola de futebol com minha filha de dois anos, quero que ela tenha um lugar na primeira fila para esta revolução. Estou investindo pessoalmente em nome da minha família, porque criar mais oportunidades no esporte feminino é importante para minha esposa e para mim, e queremos fazer parte de um futuro melhor para nossa filha”, declarou Alexis Ohanian, em um comunicado oficial.

Foto: Reprodução / Twitter (@NWSL)

Com relação à NWSL, não é de hoje que a liga tem interesse em uma franquia em Los Angeles. Isso porque a cidade californiana é o segundo maior mercado de mídia dos Estados Unidos e possui representantes em todas as principais ligas masculinas do país. Com o provisório Angel City, a tendência é elevar a audiência e as oportunidades comerciais quando o assunto for futebol feminino em Los Angeles.

“A trajetória de crescimento da NWSL é incrivelmente empolgante, mas também precisamos ser estratégicos e ponderar a rapidez com que expandimos e as comunidades com as quais fazemos parceria. Há muito tempo procuramos o parceiro certo em Los Angeles, considerando a base de fãs da NWSL que já existe na região e o grande interesse no futebol feminino em geral. Esses fatores, juntamente com um grupo incrível de proprietários, tornam essa uma situação ideal, e não poderíamos estar mais empolgados em avançar”, explicou Lisa Baird, comissária da NWSL.

Atualmente, a liga possui nove equipes. A décima, que foi rebatizada no início deste mês como Racing Louisville FC, estreará em 2022. Além da franquia de Los Angeles, que será a 11ª, há outras cidades que se mostram interessadas em sediar um time, como Sacramento, e equipes masculinas que atuam na MLS, como Atlanta United e FC Cincinnati, que estão de olho em serem representadas no futebol feminino. Outro time interessado em entrar na NWSL é o Barcelona, que seria o primeiro europeu a jogar a liga de futebol feminino americana. 





MAQUINADOESPORTE.com.br

Gosta de dicas de futebol para investimento desportivo? Então visita agora mesmo Palpites Copa do Mundo e prepara-se para viver a emoção do maior campeonato do planeta.